4 lesões comuns em corredores

Descubra suas causas e formas de prevenção

Foto: shutterstock.

Lesionar-se é um dos maiores pesadelos do corredor. E, de acordo com Sérgio Maurício, ortopedista membro do time de especialistas da Maratona do Rio, a grande maioria das lesões na corrida acontece por impacto repetitivo nos músculos, ossos e tendões. “Se erramos na intensidade e volume dos treinos ou por falta de descanso, estamos ainda mais sujeitos à surpresas desagradáveis”, diz o médico e corredor.

O ortopedista recomenda uma rotina saudável de treinos e alerta para a importância de procurar ajuda médica em caso de dor. “Todas as lesões possuem tratamento mais rápido e eficaz quando abordadas de maneira precoce”. Abaixo, quatro lesões comuns em corredores e como preveni-las:

Leia mais:

Fuja das lesões
Muito além da pisada

Canelite (síndrome do estresse medial da tíbia)

De acordo com Maurício, trata-se da dor que surge na parte interna da perna, normalmente tanto na direita quanto na esquerda, a famosa “dor nas canelas”. “Ela ocorre por uma movimento repetitivo da musculatura dessa região, que tem a função de ajudar na absorção de impacto do tornozelo”, explica. A falta de força e alongamento são fatores de risco importantes e ela é mais comum em corredores com pisada pronada e no antepé, afirma o médico. A falta de tratamento pode tornar a dor crônica ou até mesmo progredir para um edema ósseo. Para prevenir, prefira, sempre que possível, terrenos mais macios como grama ou terra batida e respeite as planilhas para evitar sobrecarga. Além do alongamento do tendão calcâneo, fortaleça as panturrilhas e o tibial anterior e posterior. Confira quatro exercícios para prevenir a canelite.

Dor anterior no joelho

Todo corredor tem medo de lesionar seus joelhos. “Antigamente, atribuíamos todas as dores à sobrecarga ou desgaste da cartilagem da patela, doença chamada de condromalácia. Porém, hoje, sabemos que diversos outros problemas podem causar quadros parecidos, como tendinite patelar, bursites e síndrome do impacto da gordura de Hoffa”, diz Mauricio. Além dos excessos, causas biomecânicas – dos quadris aos tornozelos – também podem gerar sobrecarga na estrutura dos joelhos, originando a lesão. Segundo o ortopedista, a falta de controle dos quadris, deixando-os oscilar durante a corrida, e o valgismo dinâmico – quando jogamos o joelho para dentro durante o movimento – são as causas mais conhecidas. A prevenção passa pela correção desses problemas e exercícios de fortalecimento, equilíbrio e ganho de amplitude de movimento.

Fascite plantar

“Quem já teve não esquece a sensação de uma agulha entrando no calcanhar na primeira pisada do dia”, diz Maurício. Segundo ele, esse é o principal sintoma da lesão e normalmente desaparece em poucos minutos, mas, em casos mais graves, pode durar o dia todo. “A fáscia plantar é o tecido que se origina no calcanhar e segue pela planta do pé até a base de nossos dedos. Ela serve como uma “mola” toda vez que pisamos, amortecendo impacto e não deixando o arco do nosso pé desabar”, explica.

O problema pode ser evitado com exercícios que melhorem sua elasticidade como massagens ou rolar uma bolinha de tênis com os pés. O ortopedista ainda aconselha que exercícios de equilíbrio e fortalecimento das panturrilhas e pés façam parte da rotina. “Uma dica é caminhar descalço na areia ou colocar uma toalha no chão e repetidamente ficar puxando-a com seus dedos”.

Estiramento muscular

“Eventualmente, nossa musculatura não suporta a solicitação, seja por falta de condicionamento ou fadiga, e rompe”. Isso causa dor aguda, que piora quando o corpo esfria, segundo o médico. “Existem diferentes graus da lesão, desde a micro ruptura de poucas fibras até o rompimento completo do músculo, fazendo com que a recuperação possa durar de 2 semanas até 3 meses nos casos graves”. O tratamento com medicamentos e fisioterapia deve ser iniciado o quanto antes para melhor cicatrização. O corredor só pode voltar aos treinos quando estiver totalmente sem dor. “A melhor forma de prevenir é respeitar o aquecimento, treinar dentro dos seus limites seguindo as planilhas”. Para ele, o treinamento de força também se mostra importante, pois melhora o limiar de fadiga e a mobilidade das fibras musculares.

  • Massa

    Em todos esses comentários é raro ver falar sobre o item mais importante e crucial para que não ocorram lesões: o tênis. A maioria dos atletas de final de semana vai na loja e compra um tênis porque ele é bonito e está na moda e não sabem nem qual a sua pisada. O uso de um tênis errado pode comprometer toda a estrutura do seu corpo , isso mesmo, não só dos pés, e causar lesões graves. Sou apenas um corredor, que gosta muito de correr e estou falando por experiência própria.