Em busca da corrida perfeita

Antes de irmos em busca da corrida perfeita, convém perguntar: Mas o que é a corrida perfeita? Será que a corrida perfeita é a do Usain Bolt nos 100m rasos? Ou uma maratona em pouco mais de 2 horas? Ou será a corrida de um animal, como um guepardo?

Cada uma dessas corridas citadas tem muito de perfeição, mas são corridas para poucos, inalcançáveis. Não é exatamente disso que estamos falando. Estamos falando da sua corrida perfeita, aquela que você deve buscar e pode alcançar.

Do ponto de vista evolutivo e do sistema nervoso, a primeira característica essencial da corrida perfeita é “funcionar”. A corrida é um ato de locomoção. Saímos de um ponto e queremos chegar a outro. Tudo que se faz na corrida é organizado para, sobretudo, cumprir esta meta.

Milhares de formas diferentes podem ser empregadas para se atingir este objetivo. Milhares de movimentos diferentes, velocidades, cadências, amplitudes de passada, tipos de pisada, movimentos de braço… Qualquer combinação destas e outras variáveis podem ser utilizadas e, desde que se atinja a meta de chegar ao ponto desejado, o sistema nervoso pode selecionar este padrão como a SUA forma de correr.

E a SUA forma de correr vai ter consequências. Maior ou menor sobrecarga ao aparelho locomotor (maior ou menor risco de lesões) e maior ou menor desempenho. Portanto, logicamente, a corrida perfeita é aquela que te leva ao ponto desejado com o mínimo de sobrecarga ao aparelho locomotor e o máximo de desempenho. E o que, exatamente, é isso?

Basicamente, bom alinhamento do corpo na vertical e deslocamento somente na direção desejada, sem desvios de trajetória. Mas é possível atingi-la?  Sim, é possível. O sistema nervoso, o controlador dos nossos movimentos, é muito plástico e é possível treiná-lo a fazer movimentos melhores. Porém, atingindo ou não a corrida ideal, o importante é buscá-la sempre. O corpo humano é desenhado de tal forma que, o movimento mais seguro é também o mais eficiente. E, por mais que não atinjamos a corrida perfeita, quanto mais próximos a ela, mais benefícios teremos.

Nas próximas oportunidades, discutiremos itens específicos relacionados à qualidade do movimento de corrida com dicas práticas de como treiná-los. De cara, já deixo uma dica. Minha dica especial, aquela que não pode falhar e que virou meu mantra da boa corrida. Cresça! Cresça ao correr, ao caminhar, ao ficar sentado. Cresça sempre, afaste a cabeça dos pés, alongue o corpo na vertical. Já sentirão benefícios.

Até a próxima! E…Cresce!

CassioCássio Siqueira é supervisor de fisioterapia do esporte do curso de fisioterapia da USP e fisioterapeuta da Care Club, onde trabalha com reeducação funcional de corredores. É formado em fisioterapia na USP, com especialização em fisioterapia no esporte e fisioterapia em neurologia, mestre e doutorando em ciências da reabilitação também pela USP.

SHARE