Correr no calor faz mal? Aprenda como evitar os riscos

Entenda os riscos da prática e descubra como evitá-los.

Foto: shutterstock.

Correr no calor sem os devidos cuidados pode ser perigoso. A temperatura e a umidade do ar aliada à uma hidratação ineficiente podem interferir no desempenho do atleta e até causar problemas mais graves.

Atletas mais magros e adaptados a climas quentes têm maior facilidade de suar, menor frequência cardíaca e maior regulação da perda de calor.

Já corredores esporádicos aumentam mais a temperatura corporal e estão mais sujeitos a apresentarem mal estar pelo calor. A coisa só piora se usarem roupas sintéticas de cores escuras que absorvem mais calor do ambiente.

Sintomas do excesso de sol na corrida

Durante provas e treinos, o atleta pode ter problemas como inchaço de mãos e/ou pernas, câimbras, dor de cabeça, náusea, vômito, tontura, irritabilidade, fraqueza e até mesmo sintomas graves como convulsões, perda de consciência, falta de ar, queda da pressão arterial e desmaios.

Esses sintomas ocorrem mais em provas curtas em alta intensidade e em indivíduos com histórico de desconforto pelo calor durante o exercício.

O diagnóstico das doenças relacionadas ao calor é feito com a associação da temperatura retal elevada, dos sintomas apresentados anteriormente e da presença de fatores de risco como obesidade, roupas inadequadas e despreparo físico.

Leia mais:

+ 10 óculos de sol para corredores
Vença o calor! Formas de combater a temperatura

Como tratar

O tratamento é feito com resfriamento do corpo. Medidas como ventilação, hidratação e o uso de sacos de gelo nas axilas, virilhas e pescoço podem ajudar.

Em casos graves, deve-se colocar o corredor na banheira de gelo por 5 a 10 minutos. A maioria recupera-se em até 60 minutos. Se isso não acontecer, ele deve ser encaminhado ao hospital.

Complicações ocorrem por predisposição genética, infecção viral, doenças metabólicas mal controladas e uso de drogas como cocaína, bebida alcoólica e medicamentos (antidepressivos, diuréticos).

Em provas de corrida, há uma fiscalização da temperatura do ar, da umidade e da radiação solar. A medida visa ajudá-lo a programar o melhor horário e condições amenas para a corrida. Isso ajuda a prevenir sintomas de exaustão pelo calor.

Nas provas, especialmente em dias quentes, lembre-se da hidratação. Os eventos costumam oferecer água aos atletas a cada 1 a 3 km.

Dicas para correr no calor

  • Vestir roupas com tecidos tecnológicos, próprios para a prática esportiva. Elas transportam o suor para a parte de fora da peça. Usar bonés, hidratar-se e aclimatar-se;
  • Chegar à cidade da competição de 7 a 14 dias antes, principalmente quando não estiver condicionado a climas quentes e úmidos;
  • Restringir também o uso do ar condicionado (só ligar à noite, apenas para se recuperar do treino);
  • Fazer alguns treinos intensos sob o calor.

Natália Guardieiro
é médica do esporte e assistente no Hospital de Clínicas da Universidade de São Paulo (USP), especializada em fisiologia do exercício, nutrologia e dor. Trabalha no Clube Paineiras, HCFMUSP e na clínica Move (SP), acompanhou atletas de alta-performance na Copa do Mundo 2014 e nas Olimpíadas de 2016. Praticante de esportes como boxe, ciclismo e yoga, acredita no exercício físico como parte da medicina. Entre em contato em: (11) 975580047 ou  contato@nataliaguardieiro.com.br

COMPARTILHAR