Corridas e viagens: João Pessoa

Descubra a capital da Paraíba, uma cidade que desperta nossos sentidos

Praia de Manaíra. Foto: Cacio Murilo.

Por Daniela Fescina

João Pessoa é a terceira capital mais antiga do Brasil. Ao contrário de quase todas as outras capitais, nunca foi uma vila: já nasceu com o título de cidade em 1585. Sua base cultural se desenvolveu a partir dos portugueses, índios e africanos, e a sua herança está presente na arquitetura, música e culinária local. E o melhor: a temperatura é sempre agradável.

A cidade abriga belas praias, mas o vasto mar azul não é o único atrativo da capital paraibana. Ela foi classificada como a segunda cidade mais verde do mundo – com 7m² de floresta por habitante, ficando atrás apenas de Paris. João Pessoa também ficou em 6° lugar na classificação das dez melhores cidades para se viver aqui no nosso país, em uma pesquisa realizada em 2015. Para decidir qual cidade entraria na lista, foram analisados os melhores Índices de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM).

Mas os títulos não param por aí. Fica em João Pessoa o ponto mais oriental de todo o continente americano, a Ponta do Seixas, “o local onde o sol nasce primeiro nas Américas”, e por isso a cidade é conhecida como Porta do Sol. Assim como aconteceu em Recife, a invasão holandesa no século 17 está presente na parte antiga da cidade, com diversas construções no estilo barroco colonial.

Leia mais:

Corridas e viagens: Maceió
Corridas e viagens: Fortaleza

A Paraíba também é referência quando o assunto é folia. É lá que acontece a maior festa junina do mundo, em Campina Grande. Durante os trinta dias do mês há música, comida e danças típicas e folclóricas. O forró pé de serra é um elemento cultural importantíssimo, e por isso foi considerado um patrimônio imaterial do município de João Pessoa.

Falando em raízes culturais, não podemos deixar de fora a gastronomia, uma fusão de costumes que vem sendo feita há centenas de anos. Há tanto ingredientes da terra, chamados de comida sertaneja, como do mar: leite de coco, tapioca, pimenta, queijo coalho, azeites, carne de sol, caranguejo e bode – a comida típica é capaz de agradar diferentes (e exigentes) paladares.

Qualquer que seja a “sua” João Pessoa – a cultural, a das belas praias, a dos esportes ao ar livre, a gastronômica ou a festiva –, você não sairá da cidade sem ter vivido uma experiência completa. Confira as nossas dicas para um passeio inesquecível.

Praias de Tambaú, Manaíra e Cabo Branco
Praia de Tambaú. Foto: Alessandro Potter.

É comum que em grandes cidades as praias urbanas não sejam tão bonitas e limpas como aquelas mais afastadas. Mas esse não é o caso de João Pessoa, onde a água é clara e a areia é branquinha, mesmo com um grande movimento de carros e pessoas. As bonitas praias de Tambaú e Cabo Branco possuem quiosques com comidinhas e bebidas, coqueiros e gente de todas as idades. Já em Manaíra, a orla está passando por uma revitalização, o que torna o local ideal para aproveitar um gostoso passeio ou correr pelo calçadão.

Farol de Cabo Branco
Farol de Cabo Branco. Foto: Gilberto Firmino.

Localizado no alto de uma falésia em Cabo Branco, o farol é o único do país que possui um formato triangular. Apesar de não estar mais funcionando, é um dos principais pontos turísticos da cidade: de lá você visualiza a imensidão azul do mar paraibano. Vale acordar bem cedinho para assistir ao nascer do sol. O farol fica a 4 km da cidade, e o percurso pode ser feito de carro, a pé ou correndo.

Centro Histórico
Foto: Cacio Murilo.

As 502 edificações foram tombadas em 2007 pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional, em uma área de 370 mil m². Há exemplos de arte barroca, na igreja da Terceira Ordem de São Francisco, de rococó, na igreja da Nossa Senhora do Carmo, o maneirismo da igreja da Misericórdia e o art nouveau e art déco presentes no Hotel Globo e na praça Anthenor Navarro.

Areia Vermelha
Foto: Julio Vasconcelos.

Chamada também de ilha, é um banco de areia que se forma quando a maré está baixa. É possível chegar de barco ou jet-ski, fazendo o acesso pela praia de Camboinha, na cidade Cabedelo. O banco de areia é rodeado de piscinas naturais, com águas transparentes e peixinhos coloridos. Na baixa temporada, o local se transforma em um paraíso.

Parque Zoobotânico Arruda Câmara
Foto: Rafael Passos.

Com origem datada em 1831, possui zoológico e é rodeado pela Mata Atlântica, lar de algumas espécies raras de árvore, como o jacarandá e o jequitibá. Lá também funciona o Museu de História Natural, a Casa dos Répteis e o Horto Municipal.
Rua Gouveia Nóbrega, S/Nº

Restaurante Mangai
Foto: divulgação.

Prepare-se para comer bem e bastante nesse restaurante com sistema de buffet. Entre os destaques, carne de sol com nata, baião de dois e bolinho de macaxeira.
Av. Edson Ramalho, 696

Praia do Coqueirinho
Foto: Cacio Murilo.

Considerada uma das mais lindas da Paraíba, está repleta – como sugere o nome – de coqueiros e falésias, além de calmas e límpidas águas salgadas e também rios de água doce. A coloração da areia das falésias também encanta quem passa pelo local, povoado por banhistas e mergulhadores. Outra opção para aproveitar o lugar é fazer um passeio de buggy e apreciar a vista do alto das falésias.

Parque Sólon de Lucena
Foto: Antonio David Diniz.

Traçado originalmente pelo paisagista Burle Marx, o parque ficou em reforma por dois anos e foi reinaugurado em 2016 com 12 novas praças, ciclovias, 14 quiosques, pista de corrida e skate, muro de escalada, academia, banheiros públicos e um deck para apreciar o lago. Localizado no centro, é o lugar perfeito para uma corridinha ao ar livre.
Praça Solón De Lucena, 563 – Centro

Barra do Mamanguape
Foto: Cacio Murilo.

O lugar abriga uma vila de pescadores, imensos coqueirais, lindas praias e reservas de água doce e é um santuário ecológico e berço do projeto Peixe Boi. Essa iniciativa foi criada em 1985 para preservar a espécie que ficou ameaçada após a ocupação desordenada da região. O encontro entre o mar e o rio é belíssimo. Como a Barra do Mamanguape fica a uma hora de João Pessoa e há muito o que ver, tente passar um dia e uma noite no local.

COMPARTILHAR