Devo me preocupar com a respiração para correr?

A respiração ideal é involuntária: se sua postura estiver correta, o movimento respiratório também estará.

Este é um tema que vem sendo discutido ultimamente no mundo da corrida: como respirar para correr? Existe jeito certo de respirar?

A boa respiração deve contemplar uma boa troca gasosa sem te desequilibrar e é interessante que ela mande um ar de qualidade para os pulmões.

Leia mais:

+ Com rara doença no fígado, corredora de 14 anos mira Olimpíadas
+ Começando a correr aos 100 anos de idade

A função primordial da respiração é a troca gasosa, então, em primeiro lugar, a boa respiração é aquela que realiza essas trocas com eficiência. Com mínimo esforço, coloca bastante ar dentro do peito e expulsa todo o “ar usado” logo após.

O movimento de colocar ar dentro do peito é o de expandir a caixa torácica. Para que este movimento seja usado em seu melhor potencial, ele deve acontecer nas 3 direções, vertical, lateral e para frente.

Sem entrar em maiores detalhes biomecânicos, o pulmão está no peito, e é o peito que precisa aumentar de volume para o ar entrar. Não a barriga. Nem estufe, nem murche a barriga para respirar. A função primordial do abdômen na corrida vai ser oferecer estabilidade para a sua postura. Se ele estufar ou murchar, perde esta função.

Pode não parecer, mas o movimento respiratório, por si só, gera certa perturbação ao equilíbrio do corpo. A gente nem percebe, mas respirar exige que o corpo se ajuste para manter o equilíbrio. Nessa hora, se o abdômen relaxar e estufar, o equilíbrio vai ser dificultado.

Resumindo, a boa respiração é o movimento de expandir o peito em todas as direções mantendo o abdome com um grau de contração leve e constante (Veja em “Core: pra que serve e como treina-lo”). E, de preferência, a respiração deve levar um ar de melhor qualidade para os pulmões. E isso se dá respirando pelo nariz, que filtra, umedece e aquece o ar.

Ah, mas eu não consigo respirar pelo nariz!

Paciência! Seria bom que conseguisse. Mas se isso for causar muito esforço não valerá a pena e automaticamente você passará a respirar pela boca, que apesar de mandar um ar de pior qualidade, permite que ele entre mais facilmente.

Caramba, então devo pensar em tudo isso pra correr?!

Não! Se você acompanha meus posts, já percebeu que o controle voluntário da corrida envolve somente sustentar e ir pra frente. Ou seja, crescer e se propulsionar. A respiração é uma função vital e automática. Se sua postura estiver certinha, o movimento respiratório também estará.

Mas tem problema se eu quiser prestar atenção à respiração?

Desde que não interfira muito no padrão de movimento, não. Prestar atenção se a respiração está com mínimo esforço, cadenciada, livre, fluída é uma boa forma de distração e até meditação durante a corrida. Vá em frente!

Foto: arquivo pessoal.

Cássio Siqueira é supervisor de fisioterapia do esporte do curso de fisioterapia da USP e fisioterapeuta da Care Club, onde trabalha com reeducação funcional de corredores. É formado em fisioterapia na USP, com especialização em fisioterapia no esporte e fisioterapia em neurologia, mestre e doutorando em ciências da reabilitação também pela USP.

COMPARTILHAR
  • FerBR Fer

    Bom , se entendi o artigo diz q podemos manter a respiração torácica na corrida q dizem ser mais incompleta, em vez da respiração diafragmática q sempre foi aconselhado aos corredores?