Maconha melhora ou atrapalha o desempenho na corrida?

Dizem que ela também acelera a recuperação muscular. Será?

Créditos: Andrey Burmakin/Shutterstock

O ultramaratonista Avery Collins, um jovem de 25 anos de Colorado Springs, nos Estados Unidos, é um dos atletas que usam maconha antes da corrida como parte de seu treinamento.

Vale lembrar que nos EUA a maconha é liberada em alguns níveis em 29 estados, portanto, é uma questão de opção o uso moderado da substância.

Considerado um dos mais rápidos do mundo, ele não tem vergonha de aparecer em fotografias segurando um cigarro da erva.

De acordo com ele, a primeira vez que correu depois de usar maconha, percebeu que ela ajudou no seu desempenho.

Isso porque “me permitiu estar muito presente e não me preocupar tanto com o tempo todo e com o que está acontecendo na corrida”, disse ele ao site de notícias do The New York Times.

Efeitos da maconha na corrida

Embora não haja estatísticas sobre quantos corredores fumam antes da corrida, dados da revista American Journal on Addctions indicam que a maconha é a segunda droga mais usada entre os atletas norte-americanos depois do álcool.

Segundo eles, a cannabis deixa as corridas mais agradáveis. Muitos também dizem que ela acelera a recuperação muscular depois de treinos intensos.

De acordo com Marcel Bonn-Miller, professor de psicologia da Universidade de Pensilvânia, “há duas razões diferentes para usar canabinoides. Uma é melhorar sua capacidade de treinar. A outra é voltada para a recuperação”.

Mas os estudos científicos sobre os efeitos da maconha em atletas ainda são escassos. “A maior parte do trabalho é, no momento, só de observação. Olhando para as pessoas que usam e não usam e comparando-as”, ressalva o especialista.

Uma pesquisa de 2017 no Journal of Science and Medicine in Sport, por exemplo, encontrou apenas 15 estudos publicados que investigaram os efeitos da maconha e seu principal ingrediente psicoativo, THC, no desempenho do exercício.

Riscos da maconha para atletas

Em contraponto, o Dr. Michael C. Kennedy, cardiologista e professor da Universidade de New South Wales e St. Vincent’s Medical School, não acredita nos benefícios da erva.

Ele duvida que a substância ajude na recuperação e melhore a concentração. Ainda diz que os atletas que falam dos benefícios que a maconha oferece, na verdade, estão apenas promovendo o seu uso.

“A minha revisão confira a impressão que geralmente é dita sobre o THC. Ele não melhora o desempenho aeróbico e a força “, disse.

Além disso, ele alerta: “ela não vai fazer você correr mais rápido, pode atrasá-lo e certamente não deve ser usada se houver qualquer possibilidade de doença cardíaca”.

E, de fato, alguns estudos relacionaram a maconha com a hipertensão e outros riscos cardíacos.

Desempenho na corrida

4 treinos ritmados para corredores
13 sinais de que você está treinando demais