Qual o primeiro passo para ir do asfalto para as trilhas?

Pergunte ao expert: especialistas em treinamento e saúde esclarecem algumas questões de nossos leitores

Foto: shutterstock.
Sou um corredor de asfalto mas quero tentar as trilhas. Qual o primeiro passo?

Se o atleta já é experiente no asfalto, o primeiro passo seria entender que correr em trilhas demandará outras adaptações que ele ainda não possui, já que as distâncias e os ritmos serão completamente diferentes. A sugestão é começar a treinar em terrenos levemente acidentados (trilhas de terra em parques, por exemplo) e ir aumentando a complexidade do percurso com o ganho de experiência.

> Marcos Paulo Reis, diretor-técnico da assessoria MPR e colunista da Runner’s World

Leia mais:

Fazer abdominal ajuda a correr melhor?
3 dicas para estrear na corrida de montanha

Nos dias em que eu pratico outro esporte, seria melhor não correr?

O ideal seria fazê-lo em dias intercalados, mas pode acontecer de o atleta não ter muito tempo e precisar correr de manhã e fazer o outro exercício à noite ou vice-versa. O importante é que ele não se sobrecarregue e que o exercício seja um complemento à corrida, como um trabalho de força ou alongamento. Boas opções são ioga, pilates, treino funcional ou musculação.

> Mario Sergio Andrade Silva, diretor-técnico da assessoria Run & Fun

Os meus quilinhos extras me atrapalham muito na corrida?

Podem atrapalhar no começo, mas você não deve esperar ter o corpo perfeito para começar a correr. É claro que o início é difícil, porém quanto maior for o seu cuidado com a alimentação e seu corpo, melhor será seu desempenho na corrida. Procure um nutricionista esportivo que possa adequar sua dieta ao seu treino e suas demandas energéticas, assim você conseguirá perder gordura e manter o pique para a corrida.

> Eloísa Santana, nutricionista esportiva da Clínica Médica Paulinense

O que é mais desgastante para o músculo: corridas em subidas ou em descidas?

O gasto energético é maior nas subidas, mas as descidas trazem maior risco de lesão, pois têm característica predominantemente excêntrica, ou seja, o músculo se alonga durante a contração. Se for fazer uma prova, saiba que a chegada em descida pode ser perigosa, já que você estará extremamente fadigado e com a estrutura neuromuscular menos eficiente para absorver o impacto.

> Rodrigo Cenzi, diretor-técnico da academia Leven

COMPARTILHAR