Quero, posso, consigo

Para Gabriel, a corrida foi bem mais que um esporte: foi um instrumento de transformação, capaz de salvar sua vida

Foto: Renato Pizzutto.

Por Daniela Fescina

“A depressão é como o vício. Para sair dela é preciso muita força de vontade.” E foi assim que o designer de interiores Gabriel Abdala se reergueu: com muita garra. Quando o pai faleceu, em 2006, ele ficou profundamente abalado. Mas entrou em depressão mesmo depois de se separar da esposa e mãe dos seus filhos, em 2010. “Eu não tinha vontade de fazer nada. Deixei de me cuidar e perdi o interesse em ler, assistir a filmes e ir a palestras, atividades que eu amava”, afirma a paulistano. Gabriel, que já vinha engordando desde o nascimento da sua primeira filha, em 1996, chegou a pesar 104 kg. “Perdi a vontade de viver.”

Leia mais:

Corrida-terapia
A corrida pode ajudar minha ansiedade?

Foram seis meses de muita dificuldade até ele se convencer de que precisava tomar uma atitude. “Ou eu levanto, ou morro”, ele pensou. E estava certo, já que a depressão é a segunda maior causa global de invalidez, segundo um estudo da Universidade de Queensland, na Austrália. O fato de Gabriel estar sedentário e obeso ainda o colocava na mira de uma série de doenças.

Foi graças à ajuda dos filhos e da sua mãe – que o apoiou com muito carinho, atenção e diálogo – que tudo começou a mudar. Nos parentes, ele encontrou o suporte, mas foi dentro dele mesmo que achou uma força até então desconhecida, que só veio à tona porque ele fez uma nova amiga: a corrida.

Hora da virada

O designer de interiores sempre gostou de fazer caminhadas, mas sabia que para perder todo aquele peso extra precisava ir além. Começou a andar por mais de uma hora todos os dias e, quando percebeu, já estava correndo. Gabriel fez alguns exames, recebeu aval para a prática esportiva e tornou a corrida sua grande aliada. O resultado foi tão bom que ele pôde abrir mão dos antidepressivos.

Gabriel também começou a se alimentar melhor e, após apenas quatro meses, já tinha perdido mais de 34 kg, sem nenhuma intervenção médica. “O pensamento cria, o desejo atrai e a fé realiza.” Essa é a frase que ele costuma mentalizar e que serve de inspiração para sua vida. No começo a ideia de mudança parecia um sonho, mas esse sonho foi crescendo, e a corrida trouxe o desejo e a fé que faltavam.

Desde então ele treina três vezes por semana e percorre de 30 a 45 km semanais, um volume que ele considera saudável e equilibrado. Mesmo com pouco tempo na corrida, Gabriel tem 304 provas no currículo, desde os 5 km até as ultramaratonas. Sua distância preferida são os 10 km. “Nela sinto o benefício da corrida, já que há tempo suficiente para a liberação dos hormônios do bem -estar”, diz. Ele também colocou os quatro filhos para correr. Os meninos, hoje com idades entre 14 e 19 anos, chegam a acompanhar o pai nos treinos e até nas provas.

Foto: Renato Pizzutto.
Vida nova

Aos 46 anos, Gabriel afirma que agora sabe o que é viver plenamente. Trabalha em dias alternados, ama o que faz e tem bastante tempo para se cuidar. Ele se refere à corrida como um divisor de águas, já que é um homem completamente diferente daquele que resmungava por acordar cedo para correr. “Aos domingos, com ou sem corrida, acordo às 5h30. A atividade física me deixa disciplinado. A corrida me trouxe uma vida saudável, bem-estar, autoconfiança, autoestima e muita disposição.”

Casou-se novamente, viaja bastante por aí – tanto para correr como para relaxar – e possui um ótimo relacionamento com os filhos e com a imagem que vê todos os dias refletida no espelho. “Sinto-me mais jovem e mais disposto do que quando tinha 20 anos”, comemora. Ele também administra a página no Facebook Liga dos Corredores, que já possui mais de 70 mil seguidores. Lá, compartilha dicas e notícias sobre o universo do esporte.

Gabriel até organizou uma prova de rua de 10 km, que aconteceu no último dia de 2016, em Foz do Iguaçu (PR). A inscrição para o percurso custava R$ 30 e o evento contou com 150 pessoas. “Estou plantando uma semente, espero que ela cresça.”

CINCO DICAS  DE GABRIEL PARA LEVANTAR DO SOFÁ  E COMEÇAR A CORRER

1 / O primeiro passo é amar e cuidar de si próprio.
2 / Acredite que toda a situação pode ser superada.
3 / Comece progressivamente, com 15 minutos  no primeiro dia, por exemplo.
4 / Utilize sempre roupas confortáveis e cuide da hidratação.
5 / Trace um plano e siga-o à risca: a disciplina é essencial.

SHARE