Segura e vai!

Descubra o que as posturas da ioga podem fazer pela sua corrida

Foto: shutterstock.

Por Veronica Anton*

A ioga é uma prática que alia corpo e mente e há mais de 3.000 anos ajuda seus praticantes a se conhecerem melhor. Mas você sabia que ela pode ser uma excelente aliada para correr melhor e com mais saúde? Existem várias linhas, você só precisa escolher uma que combine com seu estilo e incluir na planilha. Na asthanga e na vinyasa, por exemplo, o trabalho é mais dinâmico. Já na iyengar, fica-se mais tempo nas posições, trabalhando a simetria. Todas trazem consciência corporal, força e alongamento, melhorando a recuperação e a comunicação entre corpo e mente.

Corredoras e corredores aliam ioga aos treinos de corrida para melhorar desempenho, resistência e capacidade de regeneração muscular. Os benefícios reconhecidos para a corrida são vários, mas podemos citar ainda a melhora da capacidade respiratória, da comunicação neuromuscular e até um sono mais tranquilo – o que é fundamental para uma boa recuperação.

Leia mais:

Uma série simples de ioga relaxa os músculos enrijecidos, fortalece os fracos e transforma você em um corredor melhor e menos propenso a lesões

Devemos ter em mente que a ioga é a união entre corpo e mente – um corpo saudável com uma mente mais estável. Quando unimos corrida e ioga, estamos falando de uma atividade mais dinâmica e outra mais estável. Para que os movimentos repetitivos da corrida estejam em perfeito funcionamento e sintonia, devemos buscar durante a prática de ioga movimentos alinhados e conscientes. Ou seja, posturas feitas com a máxima atenção.

Tornozelos, joelhos, quadris, tronco e ombros são usados o tempo todo durante as aulas de ioga no trabalho de alinhamento, propriocepção, alongamento e força executado para a realização dos asanas (ou posturas). Tudo isso é transferido para a corrida, resultando em um corpo mais consciente e equilibrado, com respostas mais rápidas e eficientes e menor probabilidade de lesões. Já os exercícios de respiração feitos nas aulas desenvolvem consciência respiratória e exercitam foco e atenção em um ponto interno. Com isso, nossa mente fica mais atenta e livre de interferências externas. Alguns asanas também promovem a amplitude da caixa torácica, melhorando a capacidade respiratória.

Para quem nunca fez ioga antes, as posturas podem parecer difíceis e causar desconforto no início. Mas lembre-se de que ninguém nasceu correndo – é preciso aprender a andar antes, não é mesmo? Então vá com calma e saiba que todo asana é adaptável ao nível do praticante. Disciplina e constância são essenciais para quem está começando.

*Professora de ioga há mais de dez anos, formada em hatha ioga baseada no método Iyengar

COMPARTILHAR