Vença a preguiça

Para sair do sofá, é preciso ter uma meta bem definida

Por Carla Di Pierro

Fisiologicamente falando, nosso corpo tem duas metas: a sobrevivência e a reprodução. Ele armazena energia para essas duas funções básicas. E como não precisamos mais nos defender de predado­res, temos acesso livre à comida e podemos até gerar descendentes sem fazer sexo, herdamos um problema da nossa história evolutiva: a preguiça!

Leia mais:

+ 3 dicas para lidar com a dor durante a corrida
+ Por que a corrida vicia?

Hoje nós somos contro­lados pelo prazer imediato, e ficar dormindo debaixo do edredom quentinho é muito mais gostoso que sair para correr às 6h da matina no frio, certo? A endorfina e serotonina do exercício só produzem seu efeito se você enfrentar o desconforto de sair da cama. E o condicionamento só aparece com uma rotina sistemática de treinos.

Para os sedentários, a dificuldade é ainda maior. Muitas vezes o primeiro contato com a atividade física causa dor, descon­forto e até sensação de incompetência.

Isso também acontece com os que já foram espor­tistas e pararam de treinar: as sensações negativas prevalecem, e o custo desse retorno é muito alto. Ou seja, é necessário muita persistência, enfrentamen­to de sentimentos negati­vos e muitos dias de treino até o prazer voltar a fazer parte do jogo e se sobres­sair em relação à dor, ao desconforto e à preguiça. Quem já ficou parado por um tempo sabe como é: a gente praticamente come­ça da estaca zero.

Como sair dessa enrascada? Existem duas situações que nos tiram da preguiça e nos colocam em ação. A primeira é quando o momento atual é insus­tentável, tão aversivo que a única saída é enfrentar o que for necessário. Por exemplo, quando seu médi­co diz que você vai morrer se não fizer atividade física e equilibrar a alimentação ou quando você se dá con­ta de que está no fundo do poço, sozinha e deprimida. A situação aversiva é um grande propulsor de moti­vação nas pessoas.

A segunda situação que pode ajudar a motivar pessoas a treinarem é a capacidade de vislumbrar um futuro promissor, cheio de recompensas, estabe­lecendo metas realistas e objetivas e cumprindo cada passo para chegar até elas. Quando você é capaz de imaginar e visualizar todos os ganhos de sair da cama cedo e treinar com assi­duidade e se enxerga em um futuro próximo, mais treinada, mais saudável, mais bonita e mais feliz, aumenta a motivação para fazer o que for preciso e enfrentar os obstáculos pelo caminho.

Então olhe ao seu redor e observe as pessoas que já estiveram na sua situação e conseguiram al­cançar objetivos pessoais. Estabeleça a sua meta pessoal e intransferível: onde você quer chegar, de que forma, com a ajuda de quem e em quanto tempo. Não perca tempo nem dê sua melhor desculpa, apenas faça e perceba do que você é capaz.

Carla Di Pierro é psicóloga do esporte e triatleta nas horas vagas.
Carla Di Pierro é psicóloga do esporte e triatleta nas horas vagas.
COMPARTILHAR