#365para42: O mundo parou, e agora?

Por Cacá Filippini

isolamento social e treinos
Cacá Filippini, mesmo de casa, segue firme e forte rumo à sua 1ª Maratona. Foto: Cortesia Cacá Filippini

Isolamento social? Quando, no nosso mais remoto pensamento, nos passou a ideia de ter que desacelerar a vida de forma tão brusca para que um vírus não nos vencesse?

Não, não estava nos seus planos e nem nos meus. Ainda mais no ano em que tomei a decisão de correr a minha tão sonhada maratona. Já foram tantas dificuldades e barreiras até aqui… E agora um confinamento?

Como fazer o volume de corridas que preciso? E não perder o ritmo? Como me manter ativa nesse novo cenário? E a mente, como fica?

Ao fazer um planejamento para os 365 dias que me levariam aos 42.195km no dia 01 de novembro de 2020, pensei no macro e dividi em etapas a serem percorridas.

Leia mais 

+ #365para42: Evolução Corporal
+ #365para42: O que seu DNA diz sobre sua performance?
+ #365para42: Eu consigo se acreditar que posso

De lá para cá

De novembro de 2019 a janeiro de 2020, estive imersa na reabilitação, focada na lesão do meu joelho direito. Encorajada pela avaliação positiva do Dr. Nemi Sabeh Jr, ortopedista e médico da Seleção Brasileira de Futebol Feminino – que desde então “apadrinha” esse meu projeto de vida – não parei.

Foram sessões de fisioterapia quase que diárias com Rafael Ignácio Pereira e Luiz Gustavo Rosa, com protocolos estratégicos focados na reprogramação muscular, fortalecimento e mobilidade na região do quadril, joelho e tornozelo. E o principal, fortalecimento de todo o compartimento inferior e tronco.

Durante esse período, de forma tímida, voltei aos treinos de corrida e de preparação física, coordenados por Salete Coelho da On Body Evolution, que planejou minhas atividades com base nos resultados dos testes de Índice de Evolução Corporal (IEC) que avaliam o desempenho e o composto do corpo.

Aplicados pela Preparadora Física Natália Luiza, também da On, os testes mostraram  grande diferença de força de uma perna para outra. Além de déficits em pontos básicos, como a mobilidade e a estabilidade.  A partir dessas informações, alinhada às sugestões do médico, a Preparadora Física Salete priorizou trabalhar assimetria de força, força unilateral e trabalhos de coordenação em nossas sessões.

O que mais eu andei fazendo antes do isolamento social

Em adição, fui encaminhada também a sessões de Pilates com Grazzi Favarato (@grazzi_favarato), hoje também responsável pelos meus treinos físicos e de Levantamento de Peso (LPO) mesmo nesse período de isolamento. De acordo com ela:  “A força do core não é sinônimo de força abdominal. O core abrange todo o tronco, incluindo quadris, abdominais, costas, ombros e pescoço. Assim o Pilates permite a melhora na produção de força durante as atividades diárias, bem como na corrida, e ajuda também a controlar e maximizar os movimentos quando estamos ativos. Além disso, os padrões de respiração são essenciais para a realização correta dos movimentos de Pilates, prática que se traduz facilmente durante a corrida.”

Ajustes na minha alimentação também fazem parte da preparação para essa maratona. A nutricionista Jacqueline Moniz (@jacquemoniznutri), especialista em Nutrição Esportiva Funcional, topou o desafio de vir comigo nessa e tem trabalhado semana a semana, traçando objetivos para redução da gordura corporal e aumento de desempenho esportivo.

Isolamento social
Cacá Filippini e Bruna Guido juntas, rumo aos 42.195km em NY.

Desde final de fevereiro, iniciei um novo ciclo… E tomei a decisão de intensificar meus treinos, recorrendo a uma assessoria especializada que pudesse desenvolvê-los de acordo com a minha necessidade, combinando o volume de treinos que tenho na ON e minha agenda profissional/pessoal. Não pensei em outra se não a MB Personal Trainers, que tem foco não só em treinamento de corrida, mas também no preparo de Duathlon e Triathlon.

Fundada em 2012 pelo casal Marcelo Baltazar (@marcelobaltazar_mb) e Bruna Guido (@brunaguido_mb), ambos formados em Educação Física, em poucas semanas já senti os resultados da minha evolução. O que não poderia ser diferente, uma vez que Bruna, minha treinadora, percorreu os 42.195km de Nova York em 3 horas e 17 minutos. Wow!

Cuidando do corpo — e da mente!

Também não posso deixar de mencionar o Yoga com Miriam Aguiar (@miriam.aguiar) , que já vinha me ajudando a manter o foco e não pirar nos treinos e nas provas. Agora, essencial para a manutenção da minha saúde mental em tempos de pandemia e isolamento social.

De quebra ainda tenho as Massagens Funcionais Esportivas de Claudio Maradei (@claudiomaradei.mfe), que unem a profundidade e o equilíbrio energético do Shiatsu com a soltura muscular e o relaxamento da massagem clássica, aplicada como parte do meu recovery pós-prova.

Essa multidisciplinaridade tem sido eficaz e próspera. Já não sinto dores, tenho mais velocidade, força, condicionamento físico, bem estar e minha recuperação nos intervalos entre treinos tem sido fantástica.

Isolamento social: mas e agora que o Mundo parou? Provas de rua e grandes maratonas adiadas? Uma agenda a ser reorganizada?

Será que faremos como o francês Elisa Nochomovitz — que estava inscrito para disputar a Maratona de Barcelona — e percorreremos os 42km em nossas próprias varandas?

Justo agora que tenho até camiseta personalizada a ser vestida? Sim, dediquei tempo não apenas ao treinamento, mas ao planejamento e também a identidade dessa estória. Com as meninas da Correndo Personalizado, criei a logo, escolhi a malha que fosse ideal para as corridas, a modelagem que melhor me vestisse, elegi as cores, testamos possibilidades e no último final de semana de provas de ruas, vesti literalmente a camiseta desse sonho, ao lado do meu eterno companheiro de vida e de corridas Antonio Dib, maratonista, meu pacer e meu marido.

isolamento social
Cacá Filippini veste sua camiseta, ao lado de seu marido e pacer, o maratonista Antonio Dib

Com o isolamento social: e os treinos, como ficam? Como manter a rotina de casa? Como evoluir sem os mesmos recursos que tínhamos antes?

Estamos nos adaptando ao que temos. Eu, do lado de cá, sigo com meus treinos, elaborados por Bruna Guido, agora para serem feitos na esteira que instalamos em minha varanda. Um grande desafio para alguém que como eu, sempre correu nas ruas.

Os treinos físicos e de força, também estão adaptados por Grazzi Favarato. Usamos o que tenho em casa: elásticos, pesos, caneleiras, cadeira, cabo de vassoura, além de uma mochila repleta de arroz, farinha, café e garrafas  d’água, que coloco nas costas durante minhas aulas online de Levantamento de Peso.

A alimentação também está ajustada por Jacqueline Moniz.

É, o mundo mudou… E uma coisa é certa: nós estamos mudando com ele também.

Hoje, dia 27 de março de 2020, a Runner’s World se despede por tempo indeterminado do Brasil e eu, Cacá Filippini, passo a contar essa história na Revista Go Outside (@instagooutside), além do perfil @365para42 no Instagram.

Estou há 07 meses e 04 dias de completar os #365para42, agora com mais emoção, desafios e novas soluções. A Maratona de Nova York está ressignificada pra mim. E com certeza muita coisa ainda vai acontecer até lá. Então, vamos seguir juntos (mesmo que a distância) mas de “casa” nova?

Vejo vocês na Go Outside!

Cacá Filippini

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here