Dieta mediterrânea diminui risco de surdez, aponta estudo

Por Elizabeth Millard, da Bicycling US

Benefícios da dieta mediterrânea
Foto: Shutterstock

A dieta mediterrânea tem sido elogiada por seu potencial de desacelerar o envelhecimento. Além de reduzir significativamente o risco de doenças cardíacas, ajudar a melhorar os sintomas de depressão e até melhorar o desempenho. Agora, mais um dos benefícios da dieta mediterrânea foi descoberto: de acordo com uma nova pesquisa, você também pode reduzir as chances de perda auditiva à medida que envelhece. 

9 alimentos que te deixam inchado (e você não sabia)

Qual o horário ideal para jantar? Pesquisa explica

12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança

O estudo, publicado no American Journal of Epidemiology, analisou dados de pouco mais de 3.000 mulheres entre 50 e 60 anos que faziam parte do Nurses’ Health Study II — uma análise que reúne uma grande quantidade de informações sobre dieta, estilo de vida e saúde de mais de cem mil mulheres nos EUA. 

Para relacionar a perda auditiva com a alimentação, os pesquisadores lançaram mão de questionários alimentares. E testes de sensibilidade auditiva de um período de três anos. Ao final, descobriram que 19% das mulheres tiveram perda da audição de baixa frequência — como problemas em escutar em ambientes ruidosos. 38% tiveram perda auditiva de frequência média — como dificuldade em ouvir um programa de TV reproduzido em volume normal. E quase metade apresentou problemas de alta frequência — como não entender a fala normal. 

Benefícios da dieta mediterrânea para a audição: resultados

Ao comparar esses dados com as dietas de cada uma delas, eles descobriram que as que seguiram a dieta mediterrânea, bem como a dieta DASH — que também inclui legumes, frutas, grãos integrais, peixes, aves e nozes — tiveram um risco 30% menor de perda auditiva. “Dado o quão comuns os problemas auditivos podem ser durante o processo de envelhecimento, uma redução de 30% é considerável”, disse a autora principal do artigo Sharon Curhan, da Harvard Medical School e do Brigham and Women’s Hospital, em Boston, EUA. 

“Uma percepção comum é que a perda auditiva é uma parte inevitável do processo de envelhecimento”, disse Sharon à Bicycling US. “No entanto, nossas descobertas ilustram que a alimentação pode alterar até fatores de risco. Há coisas que podemos mudar em nossa dieta e estilo de vida para evitar a perda auditiva ou atrasar sua progressão da mesma.”

No que diz respeito à relação direta, o estudo não encontrou os mecanismos que fazem com que a dieta mediterrânea previna a surdez, explicou Sharon. Mas trabalhos anteriores mostraram que os danos auditivos podem resultar de vários fatores. Incluindo o comprometimento do fluxo sanguíneo para a cóclea — o principal órgão do ouvido interno. Além de danos nas células, inflamação e degeneração dos neurônios das vias auditivas.

O que isso quer dizer?

“Uma dieta mais saudável pode influenciar nesses processos e proteger contra a perda auditiva por vários motivos. Eles incluem proteção contra danos oxidativos, produção de lipídios sanguíneos benéficos ao organismo, melhor função endotelial [coração e vasos sanguíneos], menor pressão arterial e menos inflamação ”, disse Sharon.

A conclusão? Incorporar alimentos como frango, salmão, iogurte grego, feijão, azeite, nozes, frutas e legumes em seu cardápio pode beneficiar seus ouvidos tanto quanto beneficiam seu coração, cérebro e desempenho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here