Conheça a dieta FODMAP e como ela pode aliviar problemas gastrointestinais

Por Elizabeth Millard, da Runner's World US

dieta FODMAP
Foto: Shutterstock

O desconforto gastrointestinal pode ser uma parte indesejável – ainda que comum – do esporte para muitos corredores. Você conhece a dieta FODMAP? Ela consiste, basicamente, em diminuir o consumo de alguns alimentos, que são mal absurdos, a fim de aliviar o desconforto gastrointestinal.

A dieta FODMAP

Um estudo recentemente publicado no Jornal da Sociedade Internacional de Nutrição Esportiva, analisou as questões gastrointestinais relacionadas aos exercícios e os efeitos potencialmente benéficos da dieta de oligossacarídeos, dissacarídeos, monossacarídeos e poliol de baixa fermentabilidade. Esses são os grupos que compõem os alimentos FODMAP. Pesquisas anteriores mostraram benefícios de uma dieta em baixo FODMAP para as pessoas que sofrem de síndrome do intestino irritável, por isso os pesquisadores queriam ver se poderia ajudar atletas saudáveis ​​também.

Os FODMAPs são carboidratos de cadeia curta que são mal digeridos e absorvidos. Esses carboidratos de cadeia curta são encontrados em muitas leguminosas, grãos como trigo e centeio, laticínios que contêm lactose, frutas ricas em frutose, vegetais como cebolas, algumas nozes e adoçantes artificiais.

Isso nem sempre é uma coisa ruim. Esses carboidratos vão direto para o final do intestino, onde a maioria das bactérias intestinais está. As bactérias boas que estão em sua barriga usam esses carboidratos como combustível. No entanto, como em qualquer processamento de combustível, existem resíduos, como o gás. Para algumas pessoas, como aquelas com síndrome do intestino irritável, certos alimentos ricos em FODMAP criam problemas digestivos que podem se tornar crônicos, como inchaço, cólicas estomacais e dor.

Pesquisando os alimentos do FODMAP

Os pesquisadores analisaram 16 voluntários que receberam uma dieta FODMAP baixa ou  alta por sete dias. Depois tiveram uma semana com o que quisessem comer. E, em seguida, uma semana em qualquer dieta FODMAP, que eles não tivessem adotado inicialmente. Eles avaliaram não apenas seus sintomas gastrointestinais, mas também sua capacidade de se exercitar.

Os pesquisadores descobriram que uma dieta baixa em FODMAP melhorou significativamente os sintomas gastrointestinais relacionados com a corrida em 69% das pessoas. No geral, os participantes relataram melhorias significativas na frequência e intensidade dos exercícios na dieta de baixo FODMAP. Isso levou os pesquisadores a concluir que seguir a dieta pode reduzir os sintomas gastrointestinais relacionados com a síndrome do intestino irritável.

O coautor do estudo, Justin Roberts, Ph.D., da Cambridge Centre for Sport & Exercise Sciences, disse à Runner’s World que estudos anteriores indicaram que dietas ricas em FODMAP podem levar à fermentação de carboidratos não digeridos no trato gastrointestinal, o que pode causar desconforto digestivo. Reduzir esses alimentos, mesmo a curto prazo – como alguns dias antes de uma corrida ou corrida longa – pode reduzir o risco de sintomas. Mas, enfatizou, que os benefícios provavelmente serão altamente individualizados.

“Algumas pessoas podem notar uma redução no inchaço ou nas cólicas. Outras podem ter menos náuseas”, disse ele. “Isso depende muito de fatores como história prévia de sintomas e o tipo de dieta.”

Benefício físico e mental

E uma curiosidade: mudar para uma dieta de baixo FODMAP também pode ajudar o seu cérebro. “Descobrimos que as pessoas relataram melhor percepção do exercício, o que pode ser importante durante os períodos de treinamento mais longos”, contou o especialista.

Obviamente, alguns dos alimentos da lista FODMAPs são muito saudáveis, como os iogurtes repletos de probióticos, por exemplo, ou grãos integrais. Além disso, observou Roberts, é importante fazer pequenas trocas ao adotar a dieta, aos poucos.

Veja também: Frutas têm açúcar, mas será que elas prejudicam a dieta?

“Nós sugerimos cautela nessa abordagem, pois descobrimos que a redução dos alimentos à base de FODMAP tendia a resultar em ingestão de carboidratos e calorias abaixo do esperado”, disse ele. “Isso significa que uma abordagem de baixo FODMAP pode precisar ser introduzida em ciclos curtos.”

Então, contanto que você esteja recebendo carboidratos e calorias corretamente, e considerando os alimentos de baixo FODMAP como parte da sua preparação, esse método pode ser útil para domar esses dilemas digestivos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here