Como os corredores podem prevenir os joanetes

Por Hannah Wallace, da Runner's World

joanetes
Foto: Shutterstock

É seguro dizer que, como corredores, estamos familiarizados algumas probleminhas nos pés. Um dos mais comuns entre nós: joanetes.

Um joanete é uma protuberância na base do dedão do pé. Ela se forma quando a articulação metatarsofalângica passa por um longo período de estresse, fazendo com que o primeiro metatarsiano vire para fora e o dedão do pé passe a apontar para dentro. A protrusão resultante pode ser dolorosa – especialmente quando há atrito com os sapatos. Algumas pessoas também podem formar um joanete na base do dedo mindinho, conhecido como bunionette.

Identificando os sintomas dos joanetes

Joanetes são bastante fáceis de identificar. Se você tem uma protuberância na base do dedão ou mindinho, é provável que seja um joanete. Seu médico, um podólogo ou um fisioterapeuta podem verificar seu palpite durante um exame. O especialista pode pedir um raio-X para determinar a sua gravidade. Você também pode ser alertado para a formação de um joanete se a protuberância começar a se esfregar contra os sapatos, causando desconforto e dor.

Os joanetes podem ser particularmente dolorosos para os corredores, porque correr com o tênis errado pode agravar o problema. Mas eles também podem levar a outros problemas nos pés. Se você começar inconscientemente a deslocar seu peso do dedão dolorido enquanto corre, você pode desenvolver desconforto na planta do seu pé. O dedão do pé pode mergulhar sobre ou sob os outros dedos do pé, causando o desenvolvimento de calos ou martelo (uma curvatura anormal nos dedos).

Causas comuns de joanetes

Pode haver um elemento hereditário para joanetes e ter pés chatos ou articulações soltas pode aumentar o risco de desenvolvê-los. Em alguns casos, a artrite é a culpada. A falta de força nos músculos do pé e o uso de calçados apertados e pontiagudos também são causas. “Acredita-se que essa seja uma das razões pelas quais as mulheres tendem a ter joanetes mais do que os homens – elas são mais propensas a usar sapatos apertados e de salto alto. Mas mesmo calçados de corrida mal ajustados podem ser os culpados”, diz Ray McClanahan, doutor em Medicina, podólogo da Northwest Foot & Ankle em Portland, Oregon.

A maioria dos tênis tem uma biqueira afunilada (isto é, eles ficam mais estreitos na ponta do pé) e um salto levemente elevado, conhecido como “drop”. Usar esse tipo de sapato de corrida ano após ano é uma receita para joanetes, diz McClanahan, que é um corredor de longa distância.

Embora você provavelmente não classifique seus tênis de corrida como salto alto, olhe com mais atenção. A maioria dos tênis tem uma proporção de 2 a 1 entre o calcanhar e o antepé. Isto é projetado para inclinar você para frente quando corre, uma postura de corrida ideal. Mas, com o tempo, isso encurta o seu tendão de Aquiles, que por sua vez enfraquece e achata seu arco. Isso – juntamente com uma caixa de dedos afunilada que esmaga seu dedão do pé no espaço que deve ser ocupado pelo segundo dedo do pé – pode criar um joanete.

Evolução e sociedade

McClanahan frequentemente menciona como nossos pés se pareciam quando éramos bebês: nossos dedos estão estendidos mais do que o resto do pé. Curiosamente, os sapatos para bebês ainda são projetados para acomodar essa forma natural do pé, que ajuda o equilíbrio de uma criança ao aprender a andar. “Mas aos dois anos de idade, começamos a fazer versões em miniatura de sapatos para adultos”, diz ele. “Começamos a deformar nossos dedos.”

De fato, em sociedades sem sapatos, deformidades como joanetes, dedos de martelo e fascite plantar são tão raras que não existem. (Se você duvida disso, dê uma olhada no artigo seminal do Dr. William A. Rossi chamado “Por que os sapatos tornam a marcha normal impossível“, na qual ele expõe como, nas sociedades industrializadas, as deformidades nos pés são causadas diretamente por calçados defeituosos.)

Joanete: alívio da dor e tratamento

O tratamento para joanetes começa com a troca de seus sapatos. Sapatos de salto alto está definitivamente proibidos, já que eles inclinam o peso do corpo para a frente, forçando os dedos dos pés na frente dos sapatos. A aplicação de gelo no joanete e/ou o uso de acetaminofeno, ibuprofeno ou mesmo injeções de cortisona podem ajudar a controlar a dor a curto prazo. Usar moleskin, almofadinhas de gel, ou colocar suporte de arco nos sapatos também pode ajudar.

Se esses tratamentos conservadores não aliviarem o desconforto, o próximo passo é consultar um profissional. Quando o joanete começa a causar dor que afeta nas atividades da sua vida diária, como caminhar ou correr, muitos podólogos convencionais recomendam a cirurgia como um próximo passo. Existem muitos tipos de cirurgias de joanetes, mas na maioria dos casos, a operação envolve raspar o dedão do pé e o corte do músculo “adutor do hálux” entre o dedão do pé e o próximo dedo do pé. A recuperação total pode levar de seis meses a um ano, dependendo do procedimento exato.

Durante os 15 anos que passou como podólogo, McClanahan viu que a cirurgia não é uma solução permanente. “Se um corredor fizesse uma cirurgia e voltasse a correr com o mesmo tênis de antes, seu joanete voltaria”, explica. Isso porque os dedos grandes ainda estavam sendo mantidos em uma posição parcialmente deslocada.

+ Cuidados com os pés: como evitar bolhas, micoses e joanetes

Em sua prática em Portland, McClanahan tem um regime de três frentes para reverter joanetes. Centenas de seus pacientes com joanetes viram resultados com esses métodos naturais.

Use um espaçador

A versão de McClanahan é chamada de “Correct Toes“. Ele ajuda a treinar os ossos dos pés de volta ao alinhamento natural. Ou você pode experimentar um produto similar. McClanahan tem pacientes com joanetes que usaram o espaçador por 30 minutos por dia, em casa. Eventualmente, você pode usá-los em seus sapatos e até mesmo durante a corrida.

Tente tênis de corrida mais largos

McClanahan também recomenda usar calçados de corrida que sejam mais largos no final dos dedos. Eles também não devem ter um salto elevado – o que é conhecido como “zero drop”. Ele recomenda começar com um sapato de maior apoio. Lembrando que a transição para qualquer sapato muito rapidamente pode causar lesões, mas especialmente um sapato minimalista, então pratique cautela.

Maggie Fournier, D.P.M., presidente da American Academy of Podiatric Sports Medicine sugere que corra por alguns quilômetros em seus sapatos velhos e faça apenas 1/4 a 1/2 por quilômetro no novo par, trabalhando gradualmente até o final de sua corrida.

Massageie os joanetes

Uma massagem de joanete alonga os adutores. Você faz o sentido de fora para dentro. “Pessoas com um joanete terão um ponto de gatilho, onde o músculo ficou curto ”, diz ele. Depois de encontrá-lo, esfregue-o. Faça isso sempre que possível. Um paciente de 59 anos fez isso por horas e, segundo McClanahan, viu uma melhora “notável” em nove meses.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here