Excesso de vitamina D não faz bem para seus ossos

Por Danielle Zickl, da Runner's World US

excesso de vitamina D
Foto: Shutterstock

Até agora, sabemos que a vitamina D é essencial para construir os ossos fortes e saudáveis. Mas, como tudo na vida, o excesso de vitamina D também não faz bem à saúde.  De acordo com uma nova pesquisa, publicada no Journal of the American Medical Association, consumir mais do que a quantidade recomendada de vitamina D – 600 UI (unidades internacionais) – pode diminuir a sua densidade óssea.

Tomar mais leite realmente faz bem para os ossos?

No estudo, 303 pessoas (entre 55 e 70 anos) consumiram 400, 4.000 ou 10.000 UI de vitamina D em forma de suplemento uma vez ao dia durante um período de três anos. Elas também tiveram sua força e densidade óssea do pulso e tornozelo medidas em seis, 12, 24 e 36 meses, e seus níveis de vitamina D e cálcio em três, 6, 12, 18, 24, 30 e 36 meses.

Ao final dos três anos, a densidade mineral óssea (DMO) diminuiu 1,4% no grupo que consumiu 400 UI por dia, 2,6% no grupo que consumiu 4.000 UI por dia e 3,6% no grupo que consumiu 10.000 UI por dia. Vale a pena notar que todos os grupos tiveram uma ligeira diminuição na densidade óssea. Isso porque, à medida que envelhecemos, nossos ossos naturalmente começam a se degenerar.

O que isso significa?

Ao contrário do que você pensa, o excesso de vitamina D faz mal para seus ossos e parece, na verdade, enfraquecê-los.

De acordo com Steven Boyd, co-autor do estudo e diretor do Instituto McCaig de Saúde Óssea e Articular da Universidade de Calgary, o motivo da perda de densidade óssea pode estar relacionado ao fato de altas doses de vitamina D serem associadas a fatores como supressão do hormônio da paratireoide (PHT).

O que você precisa saber sobre implantes hormonais

“O PTH mantém o cálcio no sangue em um nível normal. O cálcio é um mineral que ajuda a fortalecer os ossos”, disse Steven à Runner’s World US. “O PTH também estimula a manutenção óssea – que é a remoção do osso antigo e a estimulação da nova formação óssea. Portanto, se houver aumento da quebra óssea combinada com menos estimulação do PTH na manutenção, o efeito final pode ser uma perda óssea significativa.”

Quais os benefícios da vitamina D para corredores?

“Embora vitamina D seja importante para manter ossos saudáveis, a carga mecânica também é um fator importante”, disse Boyd. “As cargas geradas pela caminhada e corrida são importantes porque desempenham um papel nos processos celulares que regulam a manutenção óssea.”

Enquanto sua rotina de exercícios (corrida e treinamento de força) pode ajudar a proteger contra a perda óssea, sua dieta também é uma boa aliada. Para obter uma quantidade suficiente de vitamina D no cardápio, procure alimentos como salmão, atum, leite, iogurte, ovos e queijo. Por exemplo, 85 gramas de peixe espadarte cozido contêm 566 UI de vitamina D. Enquanto 85 gramas de salmão sockeye cozido contêm 447 UI de vitamina D.

Afinal, quantas calorias tem um peito de frango?

Conclusão: em última análise, é desnecessário consumir mais vitamina D do que o recomendado (600 UI por dia). Continue com uma dieta saudável, rica em vitamina D, e com sua rotina de exercícios de fortalecimento. Desse modo, você estará no caminho para conseguir ossos saudáveis.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here