Mary Cain acusa Salazar de pressão psicológica

Mary Cain acusa equipe de Salazar de abuso psicológico
Foto: Reprodução Instagram / @runmarycain

Mais um episódio da polêmica envolvendo o Nike Oregon Project foi ao ar. Um mês depois da marca ter encerrado o projeto, uma ex-atleta da equipe treinada por Alberto Salazar deu uma entrevista ao The New York Times ontem (07). Nela, Mary Cain, de 23 anos, afirma que sofreu inúmeros abusos psicológicos no período em que fez parte do time. Ela ficou sem menstruar durante três anos, teve cinco fraturas de ossos e desenvolveu osteoporose depois de ser pressionada a perder peso. 

Ao jornal, ela disse: “entrei na Nike porque queria ser a melhor atleta feminina de todos os tempos. Em vez disso, fui abusada emocional e fisicamente por um sistema projetado por Salazar e endossado pela marca.” 

CEO da Nike estaria envolvido em caso de doping

Treinador da Nike, Alberto Salazar é banido por doping

Vídeo no Instagram

Mary Cain também publicou um vídeo em suas redes sociais em que narra pessoalmente o acontecido. 

“Alberto estava constantemente tentando me fazer perder peso. Ele criou uma meta arbitrária de 51 quilos e costumava me pesar na frente dos meus colegas de equipe e me envergonhar publicamente se eu não estivesse atingindo o peso. Ele queria me dar pílulas anticoncepcionais e diuréticos. Eu me senti tão assustada e sozinha que comecei a ter pensamentos suicidas. Comecei a me cortar. Algumas pessoas viram eu fazendo isso. E ninguém tomou uma providência a respeito.”

Testemunhas do caso

O ex-assistente de Salazar, Steve Magness, afirmou ter testemunhado o comportamento. “Uma vez, me disseram que eu precisava fazer uma atleta perder peso. Quando mostrei que o percentual de gordura dela já estava bem baixo, me disseram ‘não importa o que a ciência diz, importa o que o olhos veem. A bunda dela é grande demais.” 

Depois de contar para os pais o que estava acontecendo, Mary Cain imediatamente voltou para casa. Em um e-mail ao NYT, Salazar negou muitas das acusações da atleta.

Em comunicado, a Nike afirmou que ainda não ouviu as alegações de Mary sobre o Projeto Oregon. “Levamos as acusações muito a sério e iniciaremos uma investigação imediata para ouvir os ex-atletas do Projeto Oregon”, disse a empresa. “Essas alegações são muito preocupantes e nunca foram levantadas por Mary ou seus pais”, acrescentou o comunicado. “Mary estava tentando se juntar ao projeto do Oregon e à equipe de Alberto ainda em abril deste ano e não havia relatado nada disso,” completou a marca. 

História de Mary Cain e Alberto Salazar

A atleta foi considerada uma das melhores de sua geração. Classificou-se para o Campeonato Mundial de Atletismo em 2013, aos 17 anos, e foi a mais nova a representar os Estados Unidos no evento. Em 2014, foi a campeã mundial nos 30000 metros na categoria júnior.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here