Mentalidade de crescimento: reformule os pensamentos e tenha sucesso

Por M. Nicole Nazzaro

mentalidade de crescimento

uando você passar a ver desafios onde antes via fracassos, suas possibilidades de sucesso aumentarão. Essa é a mentalidade de crescimento. Entenda como ela funciona e aprenda a reformular pensamentos negativos, transformando-os em uma mentalidade orientada para o crescimento.

Mentalidade de crescimento

Em abril de 2017, a corredora amadora Rachel DeBusk, 54 anos, estava obcecada por estabelecer um recorde pessoal em sua primeira participação na Maratona de Boston. “Eu cheguei até mesmo a usar meu objetivo de tempo nas senhas do computador”, revela. Mas quando, no dia da prova, as temperaturas subiram até quase 30°C, ela não pôde realizar a marca desejada. Depois de um ou dois dias de desânimo, Rachel se recuperou. Ela identificou habilidades e atitudes que poderia desenvolver e que a ajudariam da próxima vez que enfrentasse uma situação parecida.

Psicólogos do esporte chamam isso de “mentalidade de crescimento”, que é a crença de que talentos e habilidades podem ser desenvolvidos. Esse método emprega o poder de pensamentos tipo “ainda não”.

+ Sete hábitos para ser mais eficiente na corrida
+ Saiba por que o que você come influencia no seu humor

Ainda não…

Carol Dwek, professora de psicologia na Universidade de Stanford (EUA), se inspirou em estudantes que, ao receberem a nota “ainda não” (em vez de serem reprovados) em disciplinas que ainda não compreendiam, entenderam que estavam em uma curva de aprendizagem e melhoraram continuamente.

Para Carol, o segredo do sucesso está em como o aprendizado é visto. Estudantes que acreditam que o talento é inato tendem a ter um pior desempenho quando vivenciam alguma dificuldade. Já estudantes que acreditam ser capazes de desenvolver habilidades e conhecimentos ao longo do tempo costumam melhorar seus desempenhos.

A sociedade nos vende a ideia de que alguns indivíduos são absurdamente talentosos. Alguns realmente são, no entanto a maioria de nós pode melhorar gradativamente. De que forma? Identificando fraquezas de abordagem e aperfeiçoando o treinamento para minimizá-las. Contratempos são inevitáveis. Mas como os encaramos é a diferença entre finalmente alcançar nossos objetivos e nos contentar com menos que o nosso melhor.

Como membro de uma pesquisa de pós-doutorado em psicologia esportiva, Troy Moles criou o método “GPS” (Crescimento, Processo e Habilidades Específicas, do inglês Growth, Process and Specific Skills). Ele serve para ajudar atletas a desenvolverem uma mentalidade focada na performance: identificando um desejo positivo e intrinsecamente motivador para melhorar (crescer), concentrando-se no que está a seu alcance controlar (processo) e focando em uma habilidade na qual trabalhar.

Mentalidade de crescimento é simplesmente acreditar que se pode melhorar por meio do esforço”, diz Troy. “Ela permite que atletas se concentrem deliberadamente nas habilidades de treinamento e competição que podem melhorar seus desempenhos. Eles são focados no crescimento mental, físico, técnico ou nas habilidades táticas que os ajudarão a alcançar os objetivos que desejam.”

Mentalidade de crescimento na prática

Em vez de: “Simplesmente não posso correr com tanto calor”.

Tente: “Durante os treinos para minha próxima corrida, quero fazer algumas rodagens longas na esteira em um local quente para praticar técnicas de hidratação, alimentação e ritmo em condições adversas”.

Por quê? Você identificou uma oportunidade de crescimento (você não treinou em dias de calor) e uma ação que pode realizar (aclimatação) para evitar previamente que outro contratempo volte a ocorrer.

Em vez de: “Estou ficando mais lento a cada ano – por que minhas colocações já não são tão boas quanto antigamente?”.

Tente: “Ficar mais lento pode ser inevitável com o passar do tempo, mas posso alterar meus objetivos para continuar motivado. Na minha próxima prova, tentarei correr a um ritmo constante. Ao invés de tentar superar um bando de corredores mais jovens que eu”.

Por quê? “Uma motivação externa, como querer vencer um oponente, tem menos probabilidade de levar ao sucesso”, diz Troy. Depende de ações de outras pessoas. Em vez disso, foque em um objetivo condicionado a um processo que esteja sob seu controle.

Em vez de: “Eu sempre ‘bato o muro’ em minhas maratonas”.

Tente: “Quero ter energia suficiente para acabar forte. Nos treinos para minha próxima prova, tentarei comer antes e mais devagar durante treinos longos e de ritmo de prova”.

Por quê? Se o mesmo contratempo acontece “sempre”, o padrão pode indicar a solução. Por exemplo, se sempre antes de encontrar o muro você tem náuseas, pode ser que não esteja digerindo bem os géis em ritmo de prova. Pratique diferentes estratégias de alimentação durante os treinos para escolher a melhor para você.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here