Qual o jeito certo de correr?

Pesquisa mostra como a postura durante a corrida pode evitar - ou causar - lesões. Fonte: Daily Mail

Se você se pergunta qual o jeito certo de correr para evitar lesões, você não está sozinho. Uma recente pesquisa mostra – em imagens – como a postura pode evitar ou levar a lesões a longo prazo.

Na tentativa de reduzir lesões, estudiosos colocaram fotos lado a lado. Uma imagem mostra um corredor com técnicas perfeitas e a outra um atleta com maiores riscos de lesão.

Os pesquisadores da Salford University’s Running Performance Clinic (Reino Unido) analisaram o estilo de 72 corredores, todos com queixas comuns, de dor no joelho a dores nas canelas. Com o objetivo de revelar a técnica ideal, eles compararam seus estilos ao de 36 corredores que nunca haviam sofrido uma lesão comum.

Qual o jeito certo de correr?

Imagem ‘a‘: favorável à lesão, caracterizado pelo ângulo elevado do pé ao contato e inclinação. Imagem ‘b‘: estilo mais seguro, o tronco não está inclinado para frente e quadril está nivelado

Dessa forma, os cientistas encontraram uma série de “padrões biomecânicos comuns” entre aqueles que estavam machucados. Entre eles, uma perna mais esticada, o ângulo do pé no contato com o chão e a inclinação do corpo.

Corredora ‘a‘: estilo mais propenso a lesões. Os quadris estão levemente inclinados a cada passada. As suas pernas também se dobram um pouco mais. Corredora ‘b‘ tem menos riscos, uma vez que o seu quadril está nivelado

No entanto, o padrão mais relacionado a uma lesão foi a queda da pelve durante a corrida.

O estudo mostrou para cada aumento de 1° na queda pélvica, uma chance 80% maior de lesão.

“O que gostaríamos de identificar com o estudo é se havia aspectos da técnica de corrida que podem estar contribuindo para essas lesões. Se for assim, podemos ajudar os corredores a se recuperarem de lesões e evitar futuras”, explica Dr Chris Bramah.

“O que achamos que pode estar acontecendo é que essas posturas estão aumentando o estresse por todo o corpo”, ressalta o Dr. Bramah.

O estudo foi publicado no American Journal of Sports Medicine. Agora os pesquisadores buscam possíveis soluções, como se aumentar a cadência (número de passos por minuto) pode compensar esses riscos.

“O que estamos descobrindo é que mudanças simples estão tendo um grande efeito para os corredores que vemos”, afirma Bramah.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here