Procedimento estético é usado em tratamento para fascite plantar

Por Robert Annis, da Runner's World US

tratamento para fascite plantar
Foto: Shutterstock

Conhecido como um tratamento estético que promete diminuir os marcas do tempo, o Botox tem ganho espaço entre os corredores por outras razões. Nos Estados Unidos, especialista tem usado a substância no tratamento para fascite plantar.

Assim como o Botox é usado para suavizar as rugas temporariamente (injetado sob a pele, paralisa os músculos permitindo que relaxem), também pode aliviar a dor e a pressão no ligamento inflamado que corre por baixo do pé.

Neurologista e diretor médico do New England Institute for Clinical Research, nos Estados Unidos, Peter McAllister é uma das autoridades quando o assunto é o uso terapêutico do Botox e diz que tratou cerca de 150 pacientes com fascite plantar com resultados promissores.

Saiba como identificar e tratar três causas de dores durante a sua corrida

Tratamento para fascite plantar com Botox

O que é fascite plantar?

A fascite plantar é uma das lesões mais comuns nos corredores, atingindo cerca de 10% dos atletas. Ocorre quando a fáscia plantar – o ligamento de suporte conectado ao calcanhar que se estende ao longo da parte inferior do pé – e os nervos sensoriais circundantes ficam inflamados. Isso pode acontecer por aumento da quilometragem, estrutura do pé fraca e/ou calçados inadequados. A dor é tipicamente pior no período da manhã ao sair da cama, melhorando ao longo do dia, conforme o ligamento se estende.

Quanto mais tempo a fascite plantar demorar para ser tratada, mais o ligamento se acostuma com o estresse e inflamação aguda diminui. Isso pode parecer bom, mas as pequenas marcas em todo o nervo mostram que a dor se torna crônica.

Os tratamentos padrão incluem órteses, alongamentos diários e injeções de cortisona, entre outros. Mas os médicos estão ficando mais relutantes em usar a cortisona, já que ela pode dissolver a região mais adiposa do pé, piorando a situação a longo prazo.

Nos últimos oito anos, o cirurgião podólogo e cirurgião podológico de Flórida, Adam D. Perler, usou extensivamente o tecido amniótico para tratar a fascite plantar. Colhido a partir do material do cordão umbilical e da placenta, o tecido amniótico é injetado na área danificada, iniciando o processo de cura do próprio corpo. Como o tratamento depende da inflamação temporária, os pacientes podem se sentir pior antes, já que a lesão leva algumas semanas para cicatrizar. Mas com o Botox, normalmente não há dor envolvida. Depois de ler os estudos, Perler ficou intrigado com as possibilidades e diz que pode começar a usar o tratamento em sua prática.

Como o Botox funciona

Botox é feito de uma toxina botulínica altamente diluída, que bloqueia os principais neurotransmissores onde é injetada. A substância ajuda a relaxar os tecidos dentro e ao redor da fáscia plantar, mas não retarda o processo de cura como a cortisona. Dessa forma, é possível que, com o tempo, em conjunto com exercícios de alongamento, o paciente se cure. De acordo com McAllister, muitos casos são resolvidos após apenas um tratamento, enquanto outros casos mais graves podem exigir injeções a cada três meses.

O que a ciência diz

Múltiplos estudos médicos publicados descobriram que injeções de Botox funcionaram significativamente melhor do que placebos ou esteróides. Um estudo de pequena escala descobriu que, após seis meses, os pacientes tratados com Botox se curaram mais rápido e ficaram mais saudáveis ​​por mais tempo do que os pacientes tratados com esteróides. Há também menos complicações do que injetar esteróides, o que na verdade rompeu a fascia plantar em até 6% dos pacientes.

Como saber se é certo para você

Se o tratamento padrão – fisioterapia, órteses, tratamentos sem esteroides – não funcionou, McAllister sugere que o Botox seja testado. A maioria dos tratamentos padrão leva cerca de seis semanas para ajudar, mas McAllister diz que a maioria de seus pacientes pode retomar os treinos entre três e sete dias após as injeções.

Por outro lado, os potenciais efeitos colaterais do Botox incluem rigidez muscular, dor no pescoço ou nas costas, coceira, entre outros, mas são excepcionalmente raros quando usados para tratar a fascite plantar; McAllister diz que a injeção permanece na área do corpo onde está inserida. E, pelo lado positivo, o seu pé pode ter menos rugas após o tratamento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here