Tênis de R$ 1 mil ajuda a correr mais rápido? Entenda polêmica

Descubra por que o calçado virou discussão no atletismo

Créditos: Maridav/Shutterstock

Tênis de R$ 1 mil para correr lançado recentemente por uma grande marca norte-americana anda levantando polêmica no mundo da corrida; entenda

E se um tênis de corrida te tornasse 25% mais rápido, ou 10% ou 2%, será que seria justo usá-lo em uma corrida?

De acordo com nota do NY Times, um tênis de corrida lançado recentemente por uma grande marca norte-americana anda levantando estas questões mais do que qualquer outro na história recente da corrida.

A marca diz que os tênis são cerca de 4% mais eficientes que alguns de seus melhores tênis de corrida.

Isso significaria uma diminuição de seis minutos para um maratonista de três horas, ou cerca de oito minutos para um maratonista de quatro horas.

Ao contrário da maioria dos tênis de corrida, eles têm uma placa de fibra de carbono na entressola que armazena e libera energia a cada passo e serve como uma espécie de estilingue, ou catapulta, para impulsionar os corredores.

Mas, em comparação com os tênis típicos de treinamento, acredita-se que esse modelo se desgaste rapidamente. Isso porque alguns corredores disseram que sentiram perda de eficácia depois de 160 km.

Agora, essa aparente eficácia do calçado evidencia uma questão que atormenta as autoridades esportivas há décadas. Como determinar quais avanços tecnológicos constituem uma vantagem competitiva injusta?

Em outros esportes, algumas proibições já foram feitas. No golfe, o uso de certas bolas que voam em linha reta foi barrado; no fitebol americano, o N.F.L. Barred impediu o uso de uma substância pegajosa que ajudou os jogadores a pegar a bola, e na natação já foram proibidos trajes de alta tecnologia que teriam maior capacidade de flutuação e velocidade.

O que é proibido no atletismo?

Enquanto a discussão acontece, a Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF), tem algumas regras sobre tênis, mas são vagas. De acordo com elas, “os calçados não devem ser produzidos de forma a dar aos atletas qualquer auxílio ou vantagem injusta”. Mas não especificam qual vantagens podem ser essas.

Além disso, as regras também afirmam que eles “devem estar razoavelmente disponíveis para todos no espírito da universalidade do atletismo”. Portanto, não é o caso do tênis em questão e seu valor alto, de mais de R$ 1 mil.

Yannis Nikolaou, um porta-voz da IAF, disse que, embora seja correto dizer que os os tênis são legais, é mais correto dizer que não há provas de que não devam ser. “Precisamos de provas para dizer que algo está errado com um tênis”, disse ele. “Nunca tivemos ninguém para trazer alguma evidência para nos convencer.”

Tênis de corrida

+ Tênis que se amarra sozinho? Nike trouxe ao Brasil! 
+ Como escolher o tênis certo: veja dicas para achar o calçado perfeito 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here