5 razões para não cortar totalmente os carboidratos

Dietas low-carb estão na moda, mas especialistas explicam porque você deve mantê-lo na rotina

Por Selene Yeager, da Bycicling

Dietas estão sempre entrando e saindo de moda. Há alguns anos o vilão da vez era a gordura, e ela foi extinta de grande parte dos cardápios das pessoas que buscam um estilo de vida saudável. Hoje, quem toma este posto são os carboidratos.

Entretanto, principalmente para atletas (amadores ou profissionais), este grupo alimentar tem funções insubstituíveis em relação aos treinos e, principalmente, à recuperação do corpo. É claro que o abuso dos carboidratos não é nada saudável e pode causar complicações (além de engordar), mas uma dieta balanceada com quantidade controlada destes açúcares é altamente recomendado.

Segundo o nutricionista norte-americano Rick Kattouf, a glicose proveniente de carboidratos é o combustível para a produção de energia do cérebro. “É também o combustível prioritário para exercícios, especialmente em relação a resistência em longas distâncias”, complementa. Na mesma linha, o pesquisador Iñigo San Millán, do centro de medicina esportiva da Universidade de Colorado, afirma que “glicogênio é ouro para nós, e é preciso de carboidratos para garantir o melhor armazenamento do glicogênio”.

Abaixo estão os cinco motivos listados por eles para não abandonar os carboidratos:

1Eles queimam gordura

Carboidratos não só dão energia como são responsáveis pelo metabolismo da gordura no corpo. “Tenha em mente que a gordura queima nas chamas do carboidrato”, explica Kattouf. Para transformar a gordura em energia, o corpo usa o glicogênio, que é obtido através do consumo de carboidratos. Caso o corpo esteja em falta deste elemento, você estará se forçando a usar a gordura como combustível dos seus exercícios, o que vai diminuir o seu rendimento e impedir o fortalecimento dos músculos.

2Eles regulam as contrações musculares

Basicamente, carboidratos te fazem mais forte. O glicogênio também é responsável por regular o cálcio nos músculos, que são necessários para a contração dos mesmos. Quando o nível de glicogênio está baixo, sua força fica prejudicada, segundo San Millán.

3Perda de peso é temporária

As pessoas perdem peso rapidamente ao cortar carboidratos, mas a maioria do peso perdido é de água. Cada grama de carboidrato é acompanhada de três ou quatro gramas de água. Então, você acaba perdendo peso, mas não a massa corporal em si. “Privar o cérebro de carboidratos e açúcares vai causar uma reação descontrolada em que a pessoa compensa e come sem parar em algum momento, inevitavelmente ganhando o peso novamente”, explica Kattouf.

4Vegetais sozinhos não seguram a onda

Sim, é possível obter carboidratos em vegetais, mas eles não são a melhor fonte. Uma grande quantidade de brócolis, comumente utilizado em dietas low-carb como substituto dos grãos, contém muito pouco carboidrato se comparado a alimentos como pão, massas, batatas, arroz ou quinoa, por exemplo.

5Quanto mais você se move, mais você precisa

Se você pratica a corrida, você necessita de combustível. E se você cobre longas distâncias em seus treinos, você precisa de mais combustível. É uma conta simples, mas que muita gente ignora. Nos dias mais tranquilos, vale cortar o carboidrato em uma refeição. Mas o seu corpo é quem vai sair prejudicado se você fazer o longão semanal à base de vegetais e proteína.