Documentário sobre obesidade e má alimentação estreia no dia 1º de junho

Objetivo da produção é ampliar a discussão do ambiente alimentar no país

Foto: divulgação.

A obesidade e o sobrepeso vêm crescendo no país – assim como em toda a América Latina. Segundo levantamento da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e a Organização Pan-americana de Saúde (Opas), mais da metade da população brasileira está com sobrepeso e a obesidade já atinge 20% dos adultos no Brasil. Mas a mudança desse cenário pode – e deve – começar no prato. É isso o que sugere o documentário ‘A Fonte da Juventude’, que estreia no dia 1º de junho. A produção será exibida no canal pago GNT às 23h30 e também ficará disponível gratuitamente na plataforma Video Camp.

Para o documentário, a biodiversidade aliada ao resgate da nossa identidade alimentar é o melhor caminho para superar esses problemas. “Sem restringir dietas, ou mesmo dar receitas, a produção apresenta a biodiversidade como a chave para conhecermos os segredos da Fonte da Juventude”, diz o diretor Estevão Ciavatta.

Leia mais:

12 filmes sobre corrida para assistir online
Precisamos parar de olhar as pessoas com sobrepeso como foras da lei que merecem um enquadramento

Um dos pontos abordados é o fato de que frutas, verduras e legumes estão sumindo do prato dos brasileiros. “Queremos criar uma mobilização a fim de estimular o consumo desses alimentos, especialmente entre as crianças. A campanha foi inspirada no plano nacional de segurança alimentar que aponta o aumento do consumo de frutas, folhas e legumes como uma das principais ações para combater a obesidade”, explica Denise Chaer, diretora da plataforma Novos Urbanos.

Foto: divulgação.

O filme percorre os quatro cantos do país para mostrar a realidade do problema e que é possível combater as estatísticas. “É um filme propositivo, que complexifica os desafios do ambiente alimentar do Brasil e traz soluções encontradas por brasileiros de diferentes classes sociais”, diz Estevão.

A plataforma de inovação social Novos Urbanos reuniu mais de 40 instituições para construir um mapa do ambiente alimentar que serviu como base para o desenvolvimento do roteiro do filme, que promove diálogos entre empresas, sociedade civil, pesquisadores e governo.

A produção ainda entrevistou nomes importantes do setor como José Graziano, diretor-geral da ONU para Agricultura e Alimentação, Gisela Solymos, psicóloga responsável pelo Centro de Recuperação e Educação Nutricional, o chefe de cozinha Alex Atala, a culinarista e apresentadora Bela Gil; entre outros. O documentário é uma iniciativa dos Novos Urbanos com produção da Pindorama.

COMPARTILHAR