Perigo à vista!

Quatro hábitos que podem boicotar sua dieta e soluções para escapar dessas roubadas

Ilustração: Rami Niemi.

Por Matthew Kadey

O erro: uma cozinha bagunçada

A calça não fecha mais? Dê uma olhada na sua pia. Um estudo feito pela Cornell Food and Brand Lab descobriu que pessoas que passam tempo em cozinhas cheias de louça para lavar comem até duas vezes mais biscoitos que aquelas com uma cozinha limpa. Outro estudo da Cornell mostrou que pessoas que deixaram guloseimas nas bancadas estavam até 11 kg mais pesadas que aquelas que deixavam esses itens em armários ou sequer os tinham em casa. “Se a sua cozinha é bagunçada, isso pode te induzir a sensações desagradáveis que, por sua vez, podem te levar a comer diversos itens de fácil acesso sem pensar”, diz a médica Alissa Rumsey, porta-voz da Academia de Nutrição e Dietéticos dos Estados Unidos.

Leia mais:
Conheça nove itens aparentemente inofensivos que podem boicotar sua dieta e seus treinos
14 ótimos lanches para corredores

A solução

Guarde guloseimas fora de sua vista e de sua mente. Uma pesquisa feita pela revista Appetite descobriu que mulheres que precisam caminhar para encontrar doces comem metade do que aquelas que encontram os deleites ao alcance das mãos. Deixe lanches saudáveis como frutas e vegetais à vista, aconselha Alissa. Participantes do estudo da Cornell que mantiveram uma tigela de frutas por perto pesaram quase 6 kg menos que aqueles que não o fizeram.

O erro: acreditar em rótulos

As embalagens podem te fazer comer mais. Em um estudo realizado pela Universidade Estadual da Pensilvânia (EUA), participantes consumiram mais salgadinhos cuja embalagem continha a palavra “fit” e uma imagem de um tênis de corrida que as que não tinham nada disso. E pesquisadores da Universidade do Texas (EUA) descobriram que pessoas comem mais pipocas ditas “saudáveis” que as pipocas consideradas “normais”, ainda que as duas sejam nutricionalmente idênticas.

A pesquisa também mostrou que consumidores acreditam que alimentos rotulados como “orgânicos” têm menos calorias e mais fibras, e esse geralmente não é o caso. “Embalagens com palavras como light, fit e zero alguma coisa costumam fazer com que as pessoas comam ainda mais, pensando que, como a comida é saudável, tudo bem ingerir grandes porções”, diz Alissa. “Mas muitas dessas comidas, como barrinhas de proteína ou salgadinhos livres de glúten, têm muitas calorias. Comer grandes porções pode sabotar seu treino ou objetivos de perda de peso.”

A solução

Não se deixe levar pela embalagem. Leia atentamente o rótulo para verificar quais produtos têm melhores ingredientes, como grãos integrais, muitas fibras e nenhuma adição de açúcar. Pessoas que leem rótulos tendem a pesar menos que aquelas que não leem. Pratique o controle de porções medindo os itens com base no tamanho de um prato. Utilizar um prato menor também irá te ajudar a não comer demais e isso pode diminuir suas calorias em 30%, de acordo com a Cornell.

O erro: pagar com o cartão

O uso de cartões de crédito ou de débito pode boicotar seu plano de chegar ao peso ideal. Um estudo publicado no Journal of Consumer Research descobriu que consumidores tendem a fazer compras de comidas menos saudáveis por impulso quando pagam com cartão, ao contrário daqueles que usam dinheiro.

A solução

Faça uma lista de compras e siga ela. Leve dinheiro, nem olhe para as guloseimas ao lado do caixa e faça uma refeição saudável antes de encher seu carrinho. Consumidores que comem uma maçã antes de ir ao mercado compram 25% mais frutas e vegetais que aqueles que não comem, de acordo com um estudo feito pela Universidade de Cornell.

Ilustração: Rami Niemi.
Ilustração: Rami Niemi.
O erro: refeições distraídas

Uma alimentação saudável não é apenas aquilo que você come, mas também como você o faz. Uma pesquisa feita pela Universidade de Northwestern (EUA) descobriu que a exposição a luzes de smartphones, laptops e aparelhos similares antes e durante refeições pode aumentar a fome e te levar a comer demais. Olhar para uma tela em vez do seu prato pode acionar as regiões do seu cérebro que estimulam o apetite. E também não apresse sua refeição para voltar ao trabalho. Estudos mostram que pessoas que fazem suas refeições rapidamente consomem mais calorias, sentem-se mais famintas e têm mais chances de ganhar peso extra. “Quando você come distraído ou engole tudo de uma vez, é menos provável que perceba os sinais de que está saciado”, diz Molly Kimball, médica e nutricinoista na Ochsner Fitness Center, em Nova Orleans (EUA).

A solução

Mantenha seus dispositivos eletrônicos fora de alcance, tire pausas para o lanche longe da sua mesa de trabalho e não faça múltiplas tarefas durante suas refeições. Outra coisa: guarde sua velocidade para as pistas: um estudo da revista Appetite descobriu que pessoas que mastigam cada porção por ao menos 30 segundos consomem menos calorias duas horas depois que aquelas que comem rapidamente. Você pode enganar seu cérebro fazendo ele pensar que tem mais no seu prato ao diminuir sua comida em pequenos pedaços, de acordo com um estudo feito pela Universidade Estadual do Arizona (EUA).

SHARE