Cadência de corrida – Parte I

O movimento de corrida é tão importante quanto a frequência de passadas

Foto: shutterstock.

Vamos, enfim, falar de cadência. Este é um tema bastante comentado atualmente. Recebo muitos atletas que chegam sabendo que a frequência de passadas deve ser alta. 180 toques por minuto é o número cabalístico.

Isto está correto mas, antes de mais nada, vamos desmistificar isso. Este é UM parâmetro importante, não O parâmetro! Vamos entender que é possível fazer qualquer coisa 180 vezes por minuto. É possível fazer um péssimo movimento de corrida 180 vezes por minuto. Portanto, não fique neurótico acompanhando no relógio a frequência de passadas. Chegar a 180 não garante que sua corrida está boa, assim como não atingir este número também não significa que esteja ruim. Melhor fazer 165 vezes por minuto um bom movimento, que 180 vezes um movimento ruim.

Leia mais:

Para onde você olha quando está correndo?
Com qual perna você corre?

Se voltarmos aos posts anteriores, lembraremos que a ideia é simplificar e que, portanto, a boa corrida consiste em se sustentar bem (crescer) e se impulsionar bem (empurrar o chão para trás, para que possamos ir só para frente). Por isso, a boa corrida com uma boa cadência significa crescer e empurrar o chão para trás 180 vezes por minuto. Só isso.

Mas por que 180 vezes? Por que é melhor dar mais passos curtos que menos passos amplos?

Este é o tema para a parte II. Aguardem. E enquanto isso… Cresce!

Cássio Siqueira é supervisor de fisioterapia do esporte do curso de fisioterapia da USP e fisioterapeuta da Care Club, onde trabalha com reeducação funcional de corredores. É formado em fisioterapia na USP, com especialização em fisioterapia no esporte e fisioterapia em neurologia, mestre e doutorando em ciências da reabilitação também pela USP.